Adentro Datacenter Solutions

X

Hoje, existem duas questões principais no coração da TI e dos negócios em geral: Cloud Computing, e a coleta, análise e interpretação de Big Data. Neste post, colocamos a questão: Computação em Nuvem e Big Data estão conectados? Eles podem ser combinados de maneira profunda? Eles se reforçam mutuamente? A resposta é sim, sim e sim.

Mas isso não basta, queremos ir além e investigar as vantagens de combinar essas duas tecnologias. Identificaremos as vantagens que já estão sendo realizadas e as que serão mais estabelecidas em um futuro próximo. Primeiro, vamos esclarecer o que realmente significam os termos “Computação em Nuvem” e “Big Data”, indo além das simples palavras-chave.

O que é computação em nuvem?

A computação em nuvem é a distribuição, via Internet, de serviços essenciais, como servidores, bancos de dados e software. Em resumo, um provedor fornece aos usuários acesso sob demanda a serviços de armazenamento, processamento e transmissão de dados.

Dessa forma, empresas e indivíduos não precisam mais fazer o download de software em seus computadores ou outros dispositivos para usar determinados programas ou aplicativos: eles podem fazer isso na nuvem, de qualquer local. Da mesma forma, essas mesmas empresas não têm mais a necessidade de servidores físicos no local (nem os custos relacionados à compra de equipamentos, gerenciamento, manutenção e um eventual possível problema de funcionamento).

À primeira vista, você pode ver as enormes e multifacetadas vantagens que essa tecnologia oferece, desde a economia de custos, aumento de eficiência, confiabilidade e segurança aprimoradas até uma grande flexibilidade e escalabilidade.

Não é surpresa que, em um relatório de abril de 2018, o Gartner tenha observado que a Cloud Computing dobrará seu público de usuários e, simultaneamente, seu valor, passando de US $ 153 bilhões em 2017 para US $ 302 bilhões previstos para 2021 (fonte). De acordo com outra análise, desta vez conduzida pelo LinkedIn, as habilidades relacionadas à Cloud Computing são as mais solicitadas pelas empresas em 2019 (fonte).

Em suma, os dados falam por si e sublinham quanto (e como) essa tecnologia está no centro dos negócios e na principal área de foco das empresas em todos os níveis, desde startups até gigantes do mercado em vários setores e em todas as latitudes. Hoje, e mais ainda amanhã.

O que é Big Data (e Smart Data ou Deep Data)?

Todos já ouvimos falar de “Big Data”, mas o que o termo realmente significa? Vamos começar com uma definição técnica fornecida pelo Gartner: “Big data são ativos de informações de alto volume, alta velocidade e/ou alta variedade que exigem formas inovadoras e de baixo custo de processamento de informações, que possibilitam insight aprimorado, tomada de decisão e automação do processo.”

Aprofundando um pouco mais, o Big Data permite aplicar ferramentas modernas a um desafio histórico: realmente conhecer seus clientes e clientes em potencial. Ele também permite que você entenda o seu próprio negócio com uma profundidade e amplitude que eram absolutamente impensáveis ​​antes.

A consequência de tudo isso é a capacidade de colocar em prática ações direcionadas e eficazes, projetadas para melhorar os processos e estruturas da sua empresa e para melhorar as relações com os “externos”. Os benefícios, em última análise, podem afetar os departamentos de marketing, vendas, compras, atendimento ao cliente e recursos humanos, em resumo: toda a estrutura e os processos de negócios.

A análise do Big Data é algo que, no ecossistema de hoje, é essencial. No entanto, devemos evitar o erro de nos limitarmos a coletar indiscriminadamente uma enorme quantidade de informações de todas as fontes possíveis. Isso ocorre porque nem todos os dados são iguais. Em vez disso, é necessário poder selecionar – a de cima à baixo – os dados mais úteis para sua empresa, para suas diferentes finalidades, com a máxima flexibilidade.

É por isso que hoje preferimos falar sobre dados “smart ou inteligentes”, que diferem das massas porque trazem “valor”, são funcionais e significativos. Alguns preferem definir esses dados como os mais importantes, referindo-se a eles como “Dados profundos” ou “Dados bons”; no entanto, a substância não muda.

Vantagens de combinar Computação em Nuvem com análise de Big Data

A combinação da análise de computação em nuvem e big data traz enormes benefícios e aprimora a eficácia dessas duas tecnologias, que podem se fortalecer. Essa combinação deve ser estudada com cuidado, em todos os seus vários aspectos e, acima de tudo, deve ser calibrada “à medida”, dependendo das necessidades de cada empresa e de seus objetivos, que podem variar ao longo do tempo.

Tendo feito essa premissa fundamental, agora examinaremos as principais vantagens da integração entre os sistemas de Computação em Nuvem e a análise de Big Data.

1. Economias significativas de tempo e dinheiro

Comprar e gerenciar um data center grande o suficiente para uma análise eficaz de Big Data pode ser muito caro, sem mencionar as inúmeras dificuldades técnicas relacionadas à manutenção. Em suma, é um investimento enorme em termos de custos, tempo e pessoal especializado. Com a nuvem, essas responsabilidades são transferidas para o provedor, que, na grande maioria dos casos, possui um know-how muito maior que está sempre atualizado. Por outro lado, a empresa compra esses serviços sob demanda em um modelo de pagamento por uso que reduz e otimiza custos.

2. Maior eficiência e flexibilidade

Vamos começar com os estágios iniciais: a instalação e execução de um servidor local pode levar semanas. Em seguida, considere a rápida obsolescência das tecnologias em termos de gerenciamento de armazenamento e dados, que exigem atualizações contínuas, incorrendo em outras ineficiências e custos. Com a computação em nuvem, esses problemas são eliminados. De fato, os fornecedores podem disponibilizar a infraestrutura necessária em pouco tempo e garantir que sejam atualizados constantemente.

Depois, há os aspectos de flexibilidade e escalabilidade, que são absolutamente centrais: na nuvem, o espaço de armazenamento pode ser aumentado rapidamente, mas também reduzido, dependendo dos requisitos dos negócios. Quando falamos de integração entre a nuvem e o Big Data, nunca devemos esquecer que eles compõem um círculo virtuoso: os sistemas de computação em nuvem tornam a análise dos dados mais eficiente e, ao mesmo tempo, ajudam na descoberta de novos dados, grandes volumes, das mais diversas fontes, de maneira inteligente e integrada. É por isso que as empresas mais importantes e preocupadas com a inovação do mundo hoje dependem quase inteiramente da nuvem. Pense no AirBnB e no Uber, que usam esses sistemas para lidar com questões complexas relacionadas à coordenação de negócios e às próprias interfaces.

3. Segurança e privacidade

Segurança e privacidade são os problemas mais delicados e escorregadios quando se trata de coleta e análise de big data. Desatenção, fraquezas inesperadas na infraestrutura ou uma falha na atualização dos regulamentos legais em vigor pode ser suficiente para desencadear problemas sérios. Traduzido: esses erros podem resultar em perda de rotatividade, de clientes e colapso da lealdade e reputação da marca.

Os provedores de serviços de Cloud Computing mais estabelecidos abordam esses problemas diariamente, com atenção incomparável a empresas individuais. É por isso que confiar neles é o equivalente a garantir a máxima tranquilidade nessas frentes.

Traduzido e adaptado de Doxee. Big Data and Cloud Computing relationship: a perfect combination . Disponível em: <https://www.doxee.com/2019/10/31/big-data-and-cloud-computing-relationship/>. Acesso em 31 out. 2019.

(Procurando backup em cloud? Clique aqui!)

deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


           Associado Abrahosting

Contatos

Métodos de pagamento

               Cartões de crédito