Adentro Datacenter Solutions

X

Alguns provedores de serviços estão migrando seus principais serviços de casa (DVR) para o armazenamento em nuvem. Eles visam não apenas uma melhoria na oferta do serviço, como também gerar maiores economia de custo e aumentar a receita.

Outra perspectiva com o armazenamento em nuvem é de aprimorar a experiência e a aderência dos clientes, etc.

Contudo, mesmo com os avanços tecnológicos, a maior demanda e adesão, calcular o custo de armazenar o DVR na nuvem ainda pode ser alto e pode sofrer por algumas interpretações legais em torno dos direitos autorais, etc.

 

calcular o custo de armazenar o DVR na nuvem

Atuais expectativas sobre o Digital Video Recorder

Atualmente, os maiores provedores de armazenamento em nuvem já estão cientes do valor operacional de oferecer serviço centralizado e estão se esforçando nos testes para a implementação do DVR na nuvem.

Há alguns motivos que tornam a opção ainda mais atrativa. A disponibilidade, que já é algo absolutamente atrativo na cloud computing e que é o fato de que manter o armazenamento em dispositivos domésticos pode sair bastante caro.

Por exemplo, se o dispositivo oferece 1 terabyte de dados, o usuário pode usar apenas a metade ou precisar de maior espaço de armazenamento. No entanto, em nenhuma das opções as provedoras não estariam tirando vantagem desse fato.

Desse modo, com o digital vídeo recorder (DVR) na nuvem você pode tirar vantagem de quem usa meio terabyte e ofertar mais armazenamento em nuvem para quem precisa. Assim, o armazenamento em nuvem forneceria gravação ilimitada e armazenamento centralizado.

Nem o provedor do serviço nem o usuário necessitaria de rolos para as gravações. Contudo, isto poderia agregar custos de fornecimento de energia e kits para melhorar a receita com o serviço. Além de entregar o serviço da rede, poderia inserir anúncios relevantes para os clientes.

 

Implicações legais do DVR na nuvem

O DVR na nuvem é um serviço persistente. Boa parte das pessoas são acumuladores naturais, isto é, se apegam as suas coisas. Por exemplo, ao adquirir arquivos de sua série favorita em digital video recorder, vai desejar mantê-los no DVR na nuvem.

É aí que entram algumas implicações legais que surgem como um impedimento. A implantação e a otimização da receita são duas delas, que dizem respeito a lei de cópia privada e direitos do autor.

Claro que essas implicações são superáveis, mas ainda se está caminhando para o processo de superação nesse aspecto.

Porém, é possível que haja custos indiretos de armazenamento para que haja uma flexibilidade a respeito do DVR na nuvem, proporcionando um cenário legal favorável.

Pode-se dizer que, basicamente, para cumprir as determinações legais o usuário deve ter sua própria cópia do programa que quer gravar. Cumprindo esse requisito, não estará violando a lei dos direitos autorais.

 

Problemas com essa determinação

O fato é que analisando racionalmente essa determinação legal, pode-se detectar uma série de problemas.

Caso os provedores sigam ao pé da letra essa decisão, significa que 1 milhão de usuários com 300 horas de conteúdo gravado irá demandar 120 pentabytes de armazenamento.

Diante dessa perspectiva, mesmo que o custo dos armazenamentos esteja mais reduzido, ainda assim será necessário um bom investimento financeiro para cobrir essa despesa – seja em armazenamento privado ou compartilhado.

Para tornar ainda mais complexo a possibilidade de calcular o custo de armazenar o DVR na nuvem, temos que observar que muitas vezes será necessário entregar o arquivo em vários tipos de dispositivos. Tais dispositivos exigem formatos diferentes de entrega de vídeo.

Em outras palavras, significa que, será preciso armazenar de quatro a seis vezes mais conteúdo do que apenas o próprio arquivo original, o que tornará a proposta ainda mais cara.

 

calcular o custo de armazenar o DVR na nuvem

Calcular o custo de armazenar o DVR na nuvem

Diante de tudo o que foi exposto, com as implicações legais e de armazenamento em nuvem, calcular o custo de armazenar o DVR na nuvem pode não ser tão simples assim.

Há tentativas de cálculos que pressupõe isto. Por exemplo, se a taxa de bits agregada for de 15 Mbps com 3 formatos ABR e 200 horas de conteúdo gravado para cada assinante, e assumirmos que o custo por TB é de $ 300, ainda assim significaria um custo de $ 1.215.

Mesmo se pensássemos em um cenário extremo com a taxa de bits e a cota fossem muito baixas, ainda assim, cada usuário ainda teria que fazer um investimento de $ 22.

Agora, multiplique esses cenários por milhões. No caso de qualquer grande provedor de serviços, você poderá observar o quanto os custos se acumulariam muito rapidamente. Seria necessária uma taxa de transferência correta para efetuar as cópias particulares.

É possível pensar em algumas alternativas para entregar um bom serviço e ser satisfatório com as determinações legais. Uma delas pode ser criptografar e transcodificar os ativos em um único formato, entregando em todos os formados de taxa de bits adaptável para vários dispositivos.

Assim seria possível alternar entre interpretações da lei de cópia privada e direitos autorais, proporcionando também flexibilidade no nível do programa.

Portanto, a melhor estratégia é buscar uma arquitetura ideal e um design de sistema que possa favorecer ao operador lucros e estabilidade em seus serviços.

deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


           Associado Abrahosting

Contatos

Métodos de pagamento

               Cartões de crédito