Adentro Datacenter Solutions

X

Com a otimização dos processos e de estratégias corporativas, as novas tecnologias se mostraram benéficas para Pequenas e Médias Empresas. Entretanto, também trouxeram problemas – que podem ser contidos pelo Disaster Recovery para PME.

Segundo estudo da Trend Micro, 51% das empresas brasileiras já sofreram ataques de ransomware em 2016, um malware que sequestra arquivos de computador. Sem uma estratégia de Disaster Recovery, tal ataque pode levar um negócio à falência.

Por isso, confira agora como elaborar um DRP!

 

O que é disaster recovery

Disaster recovery: o que é?

“Tempestades e desastres naturais, ataques DDoS e a prática de inúmeros crimes digitais – tudo isso pode ser impedido por uma estratégia de Disaster Recovery.

O que é Disaster Recovery? Também conhecido como DRP (Disaster Recovery Plan), se trata de uma combinação de backup de dados com soluções para recuperação em desastres e crimes virtuais.

Dessa forma, um plano de Disaster Recovery atua na maior redução possível da perda de informações. Com isso, costuma ser confundido com o Failover , mas as duas coisas são bem diferentes.

As principais vantagens do Disaster Recovery são:

  • Proteger os dados da empresa em desastres naturais;
  • Reduzir de maneira quase completa os efeitos dos crimes digitais;
  • Garantir segurança dos dados contra falhas humanas ou falhas no sistema.

Por essas vantagens do Disaster Recovery, muitos buscam aplicá-lo, principalmente pequenas e médias empresas que sentiriam o golpe pela perda de dados. Confira agora como implementar o Disaster Recovery para PME!

Como elaborar um DRP: 5 dicas para sucesso na criação do Disaster Recovery

“Um empreendedor com planejamento estratégico sempre está preparado para o pior cenário. Ter um plano de Disaster Recovery É estar preparado para o pior cenário!”

Para aproveitar de todas as vantagens do Disaster Recovery, você precisa adotar 5 passos para sua implementação. Ao seguir eles, você garante uma estratégia de Disaster Recovery de sucesso!

Dica 1: Continuidade de negócios e Disaster Recovery são coisas diferentes

Antes de tudo, comece diferenciando essas duas práticas para não cometer um engano na implementação. A DRP atua de maneira reativa, recuperando dados críticos necessários para suas operações após um ataque virtual ou desastre natural.

Enquanto isso, a Continuidade de Negócios atua de maneira proativa, mantendo a empresa em funcionamento não importa a situação. Por exemplo, após uma queda de energia no data center, perda de dados após falha de disco ou queda dos servidores.

Claro que nada impede das duas serem combinadas em um único plano, de forma a evitar qualquer risco digital para PMEs.

Dica 2: projeto de Disaster Recovery deve cobrir tudo

Ao pensar em como elaborar um DRP, você precisa criar uma lista com todos os elementos do ecossistema de tecnologias. Com isso, você deve ter em mente:

  • Seus sistemas, aplicativos e todos os dados da empresa;
  • Servidores e armazenamento de dados (de forma a manter a segurança física);
  • Acesso físico ao sistema e problemas de configuração (esses problemas dificultariam seu acesso).

Com isso, todas as partes envolvidas no funcionamento da empresa devem estar prontas para o pior cenário – mesmo que este não exista no momento. Comece pelo executivo, revisando todos os sistemas de TI, principalmente os envolvidos em pontos críticos.

Nesse momento, tenha em mente o que é crítico para o funcionamento da sua empresa!

Dica 3: conheça suas principais ameaças

Se você sabe o que deve proteger, também deve conhecer quais são as ameaças. Por exemplo, empresas sofrem constantemente ataques virtuais, com o ransomware sendo um dos mais prejudiciais.

Além dele, há o ataque DDoS, que é quando os hackers tentam sobrecarregar a largura de banda de uma infraestrutura ou serviço. Dessa forma, visa torná-lo indisponível.

Por fim, pode ocorrer uma exploração de falhas de segurança, de maneira a obter controle sobre as máquinas da empresa.

Dica 4: proponha soluções para o pior cenário

Após racionalizar quais os pontos críticos de uma empresa, é hora de elaborar as soluções do seu projeto de Disaster Recovery. O que fazer ao lidar com seu orçamento, recursos, ferramentas e colaboradores no pior cenário?

  1. Comece pelo orçamento, principal tópico de um Disaster Recovery para PME. Como equilibrar um orçamento que satisfaça suas necessidades e não desanime toda a empresa?
  2. Depois, pense no tempo de recuperação do negócio virtual, assim como no custo envolvido. Com isso, você terá uma estimativa de retorno das condições operacionais!

Dica 5: faça o teste de Disaster Recovery

Para eficiência do projeto, é necessário um teste de Disaster Recovery que avalie a velocidade de resposta da equipe a uma crise. É rápido? Falha em algum ponto? Esquece de abordar outro?

Com esse teste de Disaster Recovery, você entende onde fazer melhorias no projeto. O recomendado é fazer um teste sob condições estressantes, pois este é o mais próximo de um ataque ou desastre real.

Sendo assim, eles terão uma reação automática ao problema quando ele surgir.

 

Dica extra: determine a tolerância à perda de dados

Para se ter um projeto de Disaster Recovery completo, deve ser determinado a tolerância à perda, ou seja, o tempo sem prejuízos durante uma paralisação. Para medir esse tempo, há dois indicadores comuns:

  • Objetivo do Ponto de Recuperação (RPO): analisa as perdas da empresa. Se for alto, indica-se que os aplicativos são mais resistentes. Se for baixo, backups devem ser realizados com maior frequência;
  • Tempo de recuperação (RTO): mensura o tempo de recuperação e define o tempo limite para ocorrer. Se for baixo, sua empresa deve ser ágil para evitar maiores prejuízos.

 

Disaster recovery para pmes

O Disaster Recovery para PME é a grande solução?

Sim, mas apenas com constantes revisões. É só com um Disaster Recovery bem estabelecido e atualizado que uma empresa se mantém competitiva no mercado, principalmente uma pequena ou média.

Além disso, a tecnologia muda numa velocidade avassaladora e novos riscos podem surgir amanhã. Por isso, a Disaster Recovery para PME é a diferença entre um negócio sólido ou a falência no meio digital.

 

deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


           Associado Abrahosting

Contatos

Métodos de pagamento

               Cartões de crédito