Migração On Premise para a nuvem: entenda

Por: Adentro | 01-06-2021

No artigo de hoje iremos falar sobre os aspectos da migração On Premise para a nuvem. A constante expansão de mercados e setores é uma realidade graças aos recursos de cloud.

Através dessa ferramenta existe a possibilidade do acesso às tecnologias e ferramentas que, há alguns anos, eram presentes apenas na realidade de grandes empresas, ou eram encontradas de forma precária em corporações de médio ou pequeno porte.

Antes de falarmos sobre esse processo de migração, vamos entender algumas características do On Premise?

Então continua com a gente!

Migração On Premise para a nuvem: vantagens

Migração On Premisse para a nuvem: o que é On Premisse?

On Premise nada mais é do que ter uma infraestrutura necessária para rodar os sistemas e manter os dados próprios. Os recursos de sistemas e redes são conduzidos internamente por profissionais da empresa ou terceirizados para esses fins.

Eles são responsáveis por manter toda a estrutura, customização, configuração e atualização. A ideia desse tipo de metodologia é que os desenvolvedores tenham acesso a tudo que precisam para realizar suas atividades, como por exemplo do planejamento à validação. Isso t

 

udo sem a necessidade de se conectar a redes terceirizadas ou internet.

 

É evidente que o On Premise possui vantagens. Só para exemplificar, o On Premise consiste em ter tudo dentro da própria empresa. Ele é indicado para organizações que queiram o servidor para informações confidenciais.

Reforçando o conceito de cloud

Como você sabe, a computação em nuvem é uma tecnologia que permite o uso remoto de recursos da computação por meio da conectividade da Internet. Essa ferramenta usa a conectividade e a grande escala da Internet para hospedar os mais variados recursos, programas e informações. A nuvem surgiu como uma forma de democratizar informações e melhorar a experiência de quem depende de recursos tecnológicos em nível pessoal ou profissional.

A computação em nuvem trouxe inúmeras vantagens. A opção por um serviço na nuvem permite a redução de custos com infraestrutura, a economia do espaço, a centralização da informação, o aumento ou diminuição de acordo com a necessidade do cliente e o trabalho remoto. Este último falaremos mais adiante no artigo de hoje.

Características da migração On Premise para a nuvem

Antes de iniciar uma migração On Premise para a nuvem é fundamental que seja feito um mapeamento de infraestrutura de TI adequada às necessidades do seu negócio.

Alguns aspectos para considerar quando for migrar pa

 

 

ra nuvem:

  • Análise da sua infraestrutura por Especialistas Cloud
  • Agendamento da transferência do conteúdo
  • Realização de testes
  • Migração inicial dos dados

É importante ressaltar que: nem todo software On Premise tem sua versão SaaS e nem todos que possuem a sua versão SaaS podem ser migrados.

Uma vantagem do modelo SaaS é que você pode escalar, ou seja, aumentar a utilização de acordo com as suas necessidades e nível de uso.

Também é possível acessar dados e aplicativos em qualquer local, sem a necessidade de adquirir um hardware ou software. Ou seja, trata-se então, de uma solução completa e totalmente gerenciada pelo provedor do serviço.

O processo de migração de uma solução On Premise para nuvem deve ser feito com atenção e por uma equipe especializada. Ao fazer a migração do modelo On Premise para a cloud, devemos observar uma série de fatores importantes como por exemplo:

 

  1. A garantia que o serviço contratado é de qualidade e tem um bom SLA
  2. Adoção de uma abordagem híbrida, para continuar usando os programas enquanto é feita a migração
  3. Soluções que possuem o melhor custo-benefício para a sua empresa

É importante lembrar que a migração de um software, que está instalado nos servidores da empresa para uma nuvem não faz dele um SaaS. Já que todo o gerenciamento e evolução do software ainda dependerá da empresa.

Portanto, lembre-se que, depois de fazer a migração, toda a gestão d

 

o software contratado dependerá de sua organização.

Vantagens de realizar a migração

Existem diversos motivos para a migração de um modelo On Premise para cloud:

Tempo de implementação e manutenção

Se você contar com uma equipe qualificada para fazer a migração para nuvem, o tempo de implementação das soluções em nuvem tende a ser bastante curto e assertivo.

Custo

Ao optar por uma plataforma em nuvem você não precisará realizar grandes investimentos na aquisição e manutenção de datacenters. por exemplo. O único valor a ser pago será a mensalidade pelo uso dos serviços.

Segurança da informação

 

Quando os programas da empresa estão armazenados em um datacenter, existem muito mais riscos relacionados à segurança da informação. O mesmo não ocorre no modelo em nuvem, já que todos os dados ficam armazenados livres de riscos e quaisquer que sejam as mídias físicas.

 

Outras vantagens para a migração em cloud

Além de tudo isso que falamos , esse sistema geralmente conta com criptografia de ponta a ponta. Para termos uma ideia da importância desse tipo de armazenamento, segundo dados levantados em uma pesquisa realizada pela Search Cloud, aponta que empresas com soluções On Premise sofrem cerca de 61 ataques por ano, enquanto as que utilizam o modelo cloud, apenas 27 ataques.

Até mesmo empresas provedoras de infraestrutura estão utilizando a estrutura de Cloud e implementando negócios de forma totalmente digital. Há casos também onde alguns sistemas e máquinas exigem interação de baixa latência.

Isso nos leva a entender a uma outra vantagem muito conhecida do Cloud: permitir que sua empresa mantenha o foco no que realmente importa.

A arquitetura Cloud implementa a tendência à automatização de todo e qualquer trabalho de forma a tornar-se escalável. Naturalmente sua empresa verá essa tendência refletir em seus fluxos internos.

Soluções multiplataformas tendem a ser mais seguras, tendo em vista que dados e processos são armazenados em mais de uma estrutura. A integração, nesses casos, tem vários objetivos, sendo os mais comuns cobrir falhas dos sítios remotos e promover a recuperação de dados em caso de desastres.

Trabalhos remotos com a ajuda da nuvem

Os últimos meses foram de muita instabilidade para empresas de todo o mundo. A pandemia, causada pelo Coronavírus trouxe uma nova realidade, a do trabalho remoto!

Funcionários das empresas, independente do seu porte, podem acessar todos os dados através de qualquer computador, notebook, tablet ou smartphone, desde que estejam conectados à Internet. Isso tudo graças aos serviços em nuvem.

Além disso, podemos citar a qualidade da segurança, a atualização automática do servidor, a usabilidade das plataformas, os serviços de assistência técnica e backups. Em meio a tantos benefícios, a computação em nuvem se tornou a escolha preferida de muitas corporações e usuários em geral.

Diferenças entre Cloud e On Premisse

As soluções Cloud não requerem uma grande infraestrutura, pois todos os sistemas são acessados pela internet de um servidor externo. Ao invés de adquirir todo o equipamento de rede, só é necessário contratar uma empresa especializada em fornecer essa infraestrutura de forma transparente.

É diferente do on premise, pois não há profissionais dentro da companhia verificando se o servidor está ligado, se queimou e se funcionará em finais de semana ou até mesmo em feriados.

Diferente do on premise, os recursos oferecidos pelo desenvolvimento Cloud são variáveis conforme demandas, operações e investimentos.

Tudo o que ocorre com o Cloud pode ser executado dentro de On Premise, mas as principais diferenças são o custo de investimento e o valor do time alocado para cuidar da infraestrutura.

Alguns tipos de nuvens

As nuvens públicas são recursos computacionais, como servidores e armazenamento, fornecidos por terceiros e disponíveis para qualquer pessoa ou empresa que deseje contratá-los. Nesse modelo, o cliente é responsável pelo que será enviado para a nuvem, seja um backup, um aplicativo ou simplesmente arquivos, enquanto o provedor de nuvem está preocupado com a manutenção, segurança e gerenciamento de todos os recursos.

Contudo com as nuvens privadas, a empresa mantém a infraestrutura da nuvem em seu domínio interno e oferece acesso restrito a usuários selecionados, como funcionários e parceiros.

Enquanto as nuvens híbridas são uma junção das outras duas anteriores. Isso significa que a combinação permite compartilhar dados e aplicativos entre os dois tipos de nuvem citados. Conforme a demanda e estratégia do negócio, alguns recursos são utilizados de forma privada e outros são utilizados de forma pública.

Considerações finais: migração On Premise para a nuvem

Por fim, antes de terminar o artigo de hoje, é fundamental reforçarmos a importância da migração On Premisse para a nuvem. Pois a computação em nuvem permite instalar o software na Internet e usá-lo em qualquer lugar do mundo. Saber o que é On premise e Cloud é apenas o primeiro passo para desenhar a integração e obter o que há de melhor de cada campo.

Com a cultura da empresa envolta em um novo tipo de pensamento, é possível realizar a migração de fato, que deve seguir uma estratégia de impactos mínimos que torne a transição transparente para seus clientes e é claro, colaboradores.

Assim você terá seus dados seguros e sua empresa poderá focar naquilo que realmente importa.

Ficou com alguma dúvida ou quer conversar com a gente?

Nos envie uma mensagem abaixo, ficaremos felizes em conversar com você. Até a próxima!

Curtiu?
Compartilhe

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

AV. BAHIA, 1260, SÃO GERALDO, - PORTO ALEGRE - RS Política de privacidade © 2021 ADENTRO CLOUD - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.

Política de Privacidade