O que é EDGE Computing?

Por: Adentro | 11-03-2021

Você sabia que a nuvem está dando lugar a uma nova tendência? Com certeza, quem ainda não sabe o que é Edge Computing vai ouvir falar sobre esse modelo computacional em breve.

Quais seriam as vantagens desse novo modelo? Como ele funciona? Se você quer se antecipar a essa novidade, então não deixe de conferir o que temos a dizer nesse artigo!

 

Edge computing

Afinal, o que é Edge Computing?

Geralmente, esse conceito é utilizado para se referir a um modelo computacional que opera nas extremidades de uma rede.

“Isso significa dizer que o processamento de dados críticos passa a ser feito por data centers mais próximos às fontes, evitando a demora no tempo de acesso de dispositivos a repositórios centrais.”

Aliás, o próprio nome do conceito se refere à essa maior facilidade de acesso. Podemos traduzir o termo “edge” como “borda”, o que faz referência ao processamento locais.

Por isso, a edge computing é considerada a evolução da cloud computing, haja vista os ganhos em performance dessa nova tecnologia.

Mas como isso funciona na prática? No próximo tópico, mostramos as implicações da edge computing. Acompanhe!

O que é Edge Computing e como funciona?

Para exemplificar o modo de funcionamento da edge computing, podemos nos referir à forma como os dispositivos smart processam dados.

Os dados armazenados por esses equipamentos são enviados para uma nuvem, antes de serem devidamente processados.

Quando aplicamos a edge computing a esse mesmo contexto, temos um processamento e uma classificação de dados local.

Em outras palavras, o dispositivo smart não precisará mais acessar a nuvem, visto que a edge computing permite processar dados ali mesmo onde eles estão. Isso é possível graças a um equipamento conhecido como gateway.

Não podemos esquecer de dizer que a edge computing costuma ser aplicada como forma de realizar uma triagem de dados para redução do tráfego.

Nesse caso, a computação de borda é usada para separar as informações que podem ser processadas in loco daquelas que devem seguir para a nuvem.

 

Quais os principais objetivos da Edge Computing?

Então, podemos afirmar que a edge computing foi criada com o intuito de facilitar e acelerar o processamento de dados das novas tecnologias, tais como a IoT.

Mas essa menor distância entre o recolhimento e o processamento dos dados tem muitos outros objetivos e implicações, além de evitar a latência. Veja alguns deles abaixo!

Reduz custos com infraestrutura

Um dos principais objetivos dessa tecnologia é reduzir os custos com o tráfego de dados. De fato, o investimento em data centers centralizados costuma ser muito mais oneroso.

Garante mais independência

O uso do gateway não somente evita atrasos na transmissão e no processamento de dados, como confere maior independência em relação à nuvem e a infraestruturas externas.

Propicia mais segurança

As empresas que adotam a edge computing podem optar por protocolos de segurança personalizados, possibilitando o tráfego de dados críticos da maneira mais adequada possível.

Oferece mais estabilidade

A arquitetura de edge computing evita a disrupção nas operações dos dispositivos. Isso porque esse tipo de estrutura é mais independente em relação às redes, podendo manter o tráfego mesmo que os dispositivos fiquem offline.

 

Os desafios da Edge Computing

Embora a edge computing seja o futuro do tráfego de dados críticos na Internet of Things, existem alguns desafios que terão de ser suplantados para viabilizar o uso desse modelo computacional em uma escala maior. Veja quais são eles abaixo!

Aumento da segurança física da estrutura

A maior segurança na transmissão de dados oferecida pela edge computing é real. Contudo, a segurança física das estruturas que operam nas bordas é bem mais vulnerável a acidentes ou sabotagens.

Falta de mão de obra qualificada

Ainda falta mão de obra especializada nesse tipo de estrutura, o que pode dificultar a manutenção ou a recuperação em casos de falhas.

Dificuldade de escalar a estrutura

Com a utilização de vários data centers em cada uma das extremidades de uma rede, a escalabilidade torna-se mais complexa do que no caso das estruturas centralizadas.

Exigência de novas soluções de gestão

Por ser um modelo computacional inovador e bem diferente do centralizado, a edge computing exige novas formas de gerenciamento da estrutura. A possibilidade de personalizar o tráfego também impõe modelos inovadores de gestão.

Ecossistema pouco padronizado

O conceito de edge computing ainda é muito recente e as empresas que oferecem esse serviço ainda estudam quais seriam as melhores maneiras de oferecê-lo. Isso gera um ecossistema com baixo nível de padronização.

 

Benefícios do edge computing

Agora você já sabe o que é Edge Computing: redução da latência de dados com redução de custos

Assim, podemos concluir que essa tecnologia pode mesmo tomar o lugar da cloud computing em um futuro bem próximo. E os motivos dessa mudança são bem óbvios.

De fato, além de aumentar tornar a coleta de dados muito mais responsiva, a edge computing pode trazer uma significativa redução dos custos com infraestrutura. Ou seja, essa tecnologia tende a se transformar é uma grande vantagem competitiva.

 

E você, já sabia o que é a edge computing? O que achou das vantagens que podem ser proporcionadas por esse modelo computacional? Comente!

 

Curtiu?
Compartilhe

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

AV. BAHIA, 1260, SÃO GERALDO, - PORTO ALEGRE - RS Política de privacidade © 2021 ADENTRO CLOUD - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.

Política de Privacidade