Adentro Datacenter Solutions

X

Se você é como a maioria das empresas e já possui pelo menos uma aplicação em execução na nuvem. Isso não significa que a migração para a nuvem seja adequada para todos e para todos os serviços. Embora os ambientes em nuvem sejam geralmente escaláveis, confiáveis ​​e altamente disponíveis, essas não serão as únicas considerações que vão orientar em sua decisão.

Para as empresas que consideram sua primeira migração para a nuvem, há muitos fatores que você deve levar em consideração – desde os benefícios e os riscos  até o modelo e os tipos de serviços em nuvem adequados para seus negócios. Neste artigo, veremos os elementos de alto nível que você deve considerar ao contemplar uma migração para a nuvem.

Para aprender tudo sobre a migração para nuvem – continue lendo nosso artigo

migração para a nuvem

 

Benefícios potenciais da migração para a nuvem

Existem muitos problemas que a migração para a nuvem pode resolver. Aqui estão alguns cenários que se beneficiarão da migração para a nuvem.

    • Você não quer mais manter os custos de infra-estrutura própria como links de internet, ar-condicionado, manutenções indesejadas.
    • Suas aplicações estão enfrentando um aumento no tráfego e estão se tornando difícil dimensionar recursos dinamicamente para atender à crescente demanda.
    • Você precisa reduzir os custos operacionais e aumentar a eficácia dos processos de TI.
    • Seus clientes exigem rápida implementação e implantação de aplicativos e, portanto, desejam se concentrar mais no desenvolvimento, reduzindo a sobrecarga da infraestrutura.
    • Seus clientes desejam expandir seus negócios geograficamente, mas você suspeita que configurar uma infraestrutura de várias regiões – com todo o esforço associado de manutenção, tempo, humanos e controle de erros – será um desafio.
    • Está se tornando mais difícil e caro acompanhar as crescentes necessidades de armazenamento .
    • Você gostaria de criar uma equipe de desenvolvimento amplamente distribuída . Os ambientes de computação em nuvem permitem que funcionários localizados remotamente acessem aplicativos e trabalhem pela Internet.
    • Você precisa estabelecer um sistema de recuperação de desastres, mas configurá-lo para um data center inteiro pode dobrar o custo. Também exigiria um plano complexo de recuperação de desastres. Os sistemas de recuperação de desastre na nuvem podem ser implementados muito mais rapidamente e oferecem um controle muito melhor sobre seus recursos.
    • Cuidados com atualização e gestão dos servidores, consome muito tempo, mas é um processo essencial que requer atualizações periódicas e, às vezes, imediatas. Em alguns casos, um provedor de nuvem cuidará disso automaticamente. Alguns modelos de computação em nuvem também lidam com muitas tarefas administrativas, como backup de banco de dados, atualizações de software e manutenção periódica.
    • Capex para Opex: a computação em nuvem transfere os gastos de TI para um modelo de pagamento conforme o uso, o que é um benefício atraente, especialmente para empresas de lucro real.

Riscos potenciais da migração para a nuvem

Embora seu ambiente determine os riscos que se aplicam a você, há algumas desvantagens gerais associadas às migrações de nuvem que você precisa considerar.

    • Se o seu aplicativo armazenar e recuperar dados muito confidenciais, talvez você tenha receio de mantê-lo na nuvem. Da mesma forma, os requisitos de conformidade também podem limitar suas escolhas. Para que você fique confortável em relação a este ponto recomendamos uma análise jurídica detalhada das clausulas contratuais com o seu provedor de cloud.
    • Se sua configuração existente está atendendo às suas necessidades, não exige muita manutenção, dimensionamento e disponibilidade, e todos os seus clientes estão satisfeitos, por que mexer com ela?
    • Se parte da tecnologia em que você confia atualmente é proprietária , talvez você não possa legalmente implantá-la na nuvem.
    • Algumas operações podem sofrer latência adicional ao usar aplicativos em nuvem pela Internet.
    • Se o seu hardware for controlado por outra pessoa, você poderá perder alguma transparência e controle ao depurar problemas de desempenho.
    • “Vizinhos” indesejados podem atrapalhar a performance através de recursos compartilhados que alguns provedores de cloud fornecem.
    • Seu design e arquitetura de aplicativo específicos podem não seguir completamente as arquiteturas de nuvem distribuídas e, portanto, podem exigir alguma modificação antes de serem movidos para a nuvem.
    • Tempo de inatividade. Isso acontece com todos, mas você pode não querer sentir que sua disponibilidade é controlada por outra pessoa.

Seguindo essa linha de pensamento, se você está pensando em migrar seus negócios para a nuvem, pode estar se perguntando quais são as armadilhas comuns ao migrar.

 

migrando para a nuvem

Qual modelo de serviço em nuvem você precisa?

Agora que você decidiu experimentar a nuvem, terá que escolher o modelo de serviço de computação em nuvem em que deseja implantá-lo. Estes são os modelos de serviço mais comuns:

Para saber mais sobre os modelos de computação em nuvem recomendo a leitura deste artigo.

 

Aqui é onde você terá que fazer uma escolha importante.

O IaaS

Ë melhor opção para empresas que tenham necessidade de manter a própria sustentação lógica e das aplicações. Consumindo por exemplo a infraestrutura de um data center terceiro e trabalhando em cima de máquinas virtuais (VMS) mas ainda assim podendo terceirizar o atendimento de seu sistema operacional para se concentrar mais no desenvolvimento, implantação e monitoramento.

PaaS

No entanto, se você prefere que seus aplicativos sejam portáteis, basta colocar seu código em uma plataforma PaaS robusta que forneça um ambiente de infraestrutura completo (e invisível). A adoção de uma solução PaaS também reduzirá o tempo de espera para o mercado – já que o PaaS será pré-carregado com a maior parte do software necessário em tempo de execução – você só precisará implantar a camada superior do seu aplicativo, em alguns casos apenas os binários do aplicativo. Certamente o modelo PaaS é muito interessante. Suas aplicações devem ser desenvolvidas propriamente para funcioar neste modelo.
Um exemplo que podemos citar é de uma empresa que possuí seu sistema ERP cliente/servidor e tem o desejo de transportar esta plataforma para o modelo de containers (PaaS). Neste caso existe uma infinidade de adaptações que este sistema terá de sofrer para migrar de modelo. Talvez o esforço não compense a migração do modelo.

SaaS

É um modelo de entrega onde o software é hospedado e licenciado com base em assinatura.

Existem outros exemplos em modelos de serviços, mas o foco da nossa publicação não é se aprofundar nesta questão e sim descrever os principais benefícios e desvantagens de consumir serviços em nuvem, abaixo deixamos alguns exemplo das aplicações e seus modelos.

https://www.aalpha.net/wp-content/uploads/2020/03/saas-paas-iaas-difference-1.png

https://www.aalpha.net/wp-content/uploads/2020/03/saas-paas-iaas-difference-1.png

Avaliando aplicações ao migrar para a nuvem

Tendo escolhido um modelo de nuvem, o verdadeiro desafio está prestes a começar. Agora, é hora de verificar se seus aplicativos estão prontos para a nuvem. Aqui estão alguns fatores que você precisará considerar:

Complexidade e design da aplicação

Algumas aplicações tradicionais são tão complicadas e fortemente acopladas que os clientes podem não estar dispostos a refazê-la. No entanto, o principal requisito para qualquer migração bem-sucedida é que o aplicativo siga uma arquitetura distribuída e seja escalável por design. Ferramentas como PaaSLane e Cloudamize podem ajudá-lo a avaliar a disponibilidade da nuvem de seus aplicativos.

Complexidade de integração

Cada aplicativo tem seus pontos de integração, como gateways de pagamento, servidores SMTP, serviços web, armazenamento externo e fornecedores terceiros. É muito importante analisar o impacto que sua migração na nuvem terá sobre essas dependências. Às vezes, você experimentará desafios inesperados de conectividade ou autenticação que você deve identificar e resolver antecipadamente. A tarefa mais crítica (e tediosa) é identificar todos esses pontos de integração . Como os aplicativos mais antigos podem estar mal documentados e os desenvolvedores familiarizados com os detalhes funcionais e não funcionais de ponta a ponta podem não estar mais disponíveis, talvez seja necessário percorrer cada módulo manualmente. A tarefa fica complicada se você estiver pensando em migrar centenas de aplicativos atualmente em execução no seu datacenter.

Muitos desses problemas podem ser resolvidos por meio de uma combinação da familiaridade que sua equipe tem com os aplicativos e uma ferramenta de descoberta de ativos (de código aberto ou comercial). Uma ferramenta de descoberta de ativos pode ajudá-lo a identificar configurações inteiras do servidor em uma rede, além de detalhes de conectividade. Por exemplo, digamos que você tenha um data center em uma rede que hospede cerca de 100 aplicações. Uma ferramenta de descoberta pode fornecer uma visão geral de todo o sistema. Também pode fornecer detalhes granulares que podem ser úteis para uma avaliação geral do gerenciamento de capacidade.

O sistema operacional host

Depois de decidir sobre a migração para a nuvem, é importante saber se você poderá implantar seus aplicativos no mesmo sistema operacional. Seus aplicativos podem ser executados apenas em um sistema operacional específico. Se não for compatível com seu provedor de nuvem, você precisará encontrar um SO substituto viável, um provedor de nuvem diferente ou simplesmente desistir de todo o projeto. Por exemplo, a maioria dos provedores de nuvem não fornece opções de SO de 32 bits e outros podem ter requisitos inesperados de assinatura. É melhor fazer sua pesquisa com antecedência.

O banco de dados das aplicações

Um banco de dados é obviamente uma parte crítica de qualquer aplicativo. Os clientes investem muito em servidores de banco de dados e, frequentemente, em licenças. Além disso, dada a complexidade e a sensibilidade dos seus dados, talvez você não queira movê-los agora: migrar petabytes de dados não é tarefa trivial. Em qualquer um dos casos, verifique se os métodos de migração que você usa são altamente confiáveis ​​e têm a possibilidade de reversões para lidar com qualquer caos inesperado.

A maioria dos provedores de nuvem oferece seus próprios serviços de migração. Portanto, é muito importante avaliar esses serviços antes de pressionar o botão “Iniciar”. Existem fornecedores terceirizados que fornecem serviços de migração de dados , como a Adentro por exemplo.

Rede

É importante avaliar a localização física onde suas aplicações estarão hospedadas pois isso pode implicar diretamente na performance. Você pode ter os melhores servidores mas se a distância física de acesso for muito longa e sem um planejamento prévio, isso pode implicar em uma performance desastrosa e inviabilizar a nuvem.

Comparação de custos

É importante ter uma previsibilidade dos custos com a nuvem, avaliar variação cambial, emissão de Nota Fiscal para que não exista surpresas nos ciclos mensais. A contratação de recursos computacionais em nuvem na maioria das vezes é interessante para traçar uma linearidade dos custos ao ativar um novo cliente ou serviço. Já a infraestrutura completamente on premise tende a ter uma visão de custos maquiada, visto que todo crescimento necessita de um alto investimento imobilizando assim eu dinheiro e tirando o foco do seu negócio.

Prova de conceito

É sempre uma boa idéia criar uma pequena prova de conceito (POC) antes de migrar suas aplicações para a nuvem. Sei que esses modelos não antecipam todos os problemas possíveis, mas proporcionam maior clareza e entendimento sobre os desafios que você pode enfrentar. Algumas das coisas que você deve procurar durante seu POC incluem:

  • Comparações de desempenho com suas aplicações existentes;
  • Níveis de complexidade envolvidos na migração dos softwares;
  • Desafios de negócios e melhorias que precisam ser resolvidas
  •  Confiabilidade
  •  Avaliação de suporte do provedor de nuvem

 

Não é possível capturar todos os desafios em tempo real de uma migração de nuvem em um artigo, mas tentei resolver alguns problemas comuns que você deve considerar antes de iniciar o processo. Compartilhe suas experiências de migração em nuvem conosco nos comentários abaixo.

Gostou desse artigo? Compartilhe-o!
Caso tenha dúvidas ou interesse em sugerir a elaboração de novos conteúdos específicos, deixe seu comentário.

deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.

Política de Privacidade
           Associado Abrahosting

Contatos

Métodos de pagamento

               Cartões de crédito