Trabalho híbrido: o modelo de trabalho da pós-pandemia

Por: Adentro | 11-11-2021

A pandemia trouxe diversos obstáculos, fomentando inovações tanto tecnológicas quanto jurídicas. Uma dessas inovações foi o trabalho híbrido, um modelo de trabalho que conseguiu solucionar, de certa forma, os impedimentos da crise sanitária.

No entanto, vale dizer que esse sistema não está contemplado na legislação vigente. Portanto, ele atua como uma “mistura” entre o trabalho presencial e teletrabalho, formando um contrato complexo para os colaboradores.

No que tange às tecnologias, o cloud computing propiciou e atualizou os sistemas de trabalho remoto. Hoje, a maioria das empresas fazem uso dessa tecnologia.

Existem diversos outros detalhes importantes, os quais vamos comentar ao longo deste conteúdo.

Boa leitura!

O que é trabalho híbrido?

Quando olhamos para 2020, vemos que, ainda no começo da pandemia, as empresas estavam chamando seus funcionários para as instalações físicas. Em julho de 2020, por exemplo, o percentual de trabalhadores home office caiu de 12,7% para 11,7%.

No entanto, uma boa parcela dos trabalhadores voltou apenas de modo eventual para as empresas, caracterizando o trabalho híbrido.

Em resumo, o trabalho híbrido consiste em alternar entre o trabalho em casa e na empresa. Por mais incrível que pareça, esse modelo já vinha sendo empregado pelas empresas, antes mesmo da crise sanitária.

Quais são os modelos de trabalho da atualidade?

Existem diversos modelos de trabalho na atualidade. A maioria já existiam antes da pandemia; outros surgiram como necessidade de driblar as limitações impostas pela nova doença.

Os modelos de trabalho do mercado são os seguintes: 

  • Método de trabalho presencial. 
  • Teletrabalho. 
  • O famoso home office. 
  • Modelo de trabalho híbrido.

Vamos ver alguns detalhes sobre eles, nas próximas seções.

Método de trabalho presencial

O método de trabalho presencial é o mais conhecido: o funcionário deve ir até a empresa para trabalhar, sem nenhuma possibilidade de trabalho remoto.

Essa modalidade impõe diversas regras quanto ao trabalho, assim como uma rotina rígida e determinada. Ou seja, quase não há flexibilização nessa modalidade, sendo o método principal do CLT.

Teletrabalho

O teletrabalho foi apresentado ao mercado brasileiro pela Reforma Trabalhista de 2017 (lei n° 13.467). Mas essa modalidade é bastante complicada, quando pensamos do ponto de vista do empregador.

Em resumo, o colaborador vai atuar a maior parte do tempo em casa – ou local de seu interesse, menos na empresa. O complemento das horas de trabalho deve ser cumprido na empresa. 

Então, ele vai apenas alguns dias na semana trabalhar na empresa, passando os demais dias trabalhando de casa.

O famoso home office

Em resumo, o home office foi muito utilizado durante a pandemia porque se trata de um modelo de trabalho eventual. Dessa forma, o ideal é trabalhar na empresa, mas, em decorrência de um cenário emergencial, os colaboradores precisam desempenhar suas atividades em casa.

Vale notar que o home office só se torna teletrabalho quando faz uso de tecnologias de comunicação, além de não se enquadrar como trabalho externo e contemplar caráter permanente.

Modelo de trabalho híbrido

O trabalho híbrido ainda gera bastante dúvidas entre os empregadores. Afinal, como não é contemplado pela legislação vigente, muitas empresas ficam receosas na hora de adotar essa forma de trabalho.

No entanto, vale lembrar que o trabalho à distância já faz parte da legislação, mas não o modelo híbrido, especificamente. Ou seja, não há restrições referentes a essa forma de trabalhar, mas há necessidade de cuidado na hora de elaborar o contrato de trabalho.

No caso, o modelo híbrido requer a divisão dos períodos de trabalho entre a empresa e a casa do trabalhador. Ao contrário do teletrabalho, ele tende a ser mais exigente quanto a horários e obrigações, por isso não se enquadra na lei vigente.

O trabalho híbrido está dentro da lei vigente?

Responder essa pergunta é mais complicado do que parece. Em linhas gerais, sim, o trabalho híbrido é contemplado pela lei trabalhista. Porém, ele é uma mistura de possibilidades de trabalho, e deve ser especificado no contrato do funcionário.

O maior problema é que não há especificações sobre jornada híbrida na legislação, causando muita confusão.

É importante, por exemplo, adotar partes das regras do trabalho presencial e parte do teletrabalho/ home office, para que o contrato fique em harmonia com a lei.

Direitos trabalhistas desse regime de trabalho

Quanto aos trabalhadores, a principal dúvida surge no que tange aos direitos trabalhistas. Afinal, sem uma determinação na lei trabalhista, quais são os direitos dos trabalhadores nessa modalidade de trabalho?

Vale lembrar, porém, que os direitos trabalhistas vigoram sempre, quando falamos em trabalho híbrido e nas demais modalidades. Então, não há com que se preocupar, se essa for sua principal dúvida.

Quais são as vantagens do trabalho híbrido?

Pela definição de trabalho híbrido apresentada, ficou claro que essa modalidade carrega os benefícios tanto do presencial quanto do home office. Todavia, ele também proporciona vantagens inesperadas, que acabaram surpreendendo os empregadores.

Nesta seção, vamos falar de todas elas!

Diminui atrasos

Uma das principais vantagens do trabalho híbrido é a redução dos atrasos. 

Embora atrasar apenas 20 minutos por dia possa parecer pouca coisa, a soma desses atrasos se torna algo assustador. Em um ano, por exemplo, são mais de 5 dias perdidos de trabalho.

O maior problema é o trânsito. Quanto menos expostos aos fatores externos os funcionários estiverem, maiores as chances de pontualidade.

Otimização de atividades

Uma vantagem inesperada do trabalho home office é a otimização de atividades. No caso, esse benefício acontece pois as empresas precisam revisar sua forma de produzir. Nesse processo, há diversas pequenas otimizações que, quando somadas, trazem um grande benefício.

Trabalhar melhor faz com que os colaboradores sintam-se mais confortáveis, dado que evita o retrabalho e demais frustrações. Isso melhora o clima empresarial e traz a satisfação de trabalhar na empresa.

Maior produtividade

O senso comum sempre informou que o trabalho remoto seria menos produtivo que o presencial. 

Entretanto, essa análise se mostrou completamente equivocada. De acordo com uma pesquisa da Microsoft, 82% dos líderes disseram que a empresa, após adotar o home office, estava tão produtivo quanto antes da pandemia.

A razão para o aumento de produtividade se deve, em grande parte, pela forma como os funcionários utilizam o tempo. 

Além disso, por não terem os ruídos do ambiente de trabalho, assim como as interrupções, conseguem focar no que precisa ser feito.

Funcionários mais felizes

Em um estudo da SurveyMonkey, realizado em 2020, ficou claro que quem estava trabalhando em home office apresentava níveis de felicidade maiores que os colegas em outras modalidades de trabalho.

Existem muitas razões para isso, como trabalhar ao lado do pet, se sentir mais seguro em casa e assim por diante.

Redução de custos

A redução de custos é uma das vantagens mais controversas do trabalho remoto. Afinal, embora a empresa não tenha despesas no ambiente de trabalho, ela ainda arca com os custos necessários ao trabalho híbrido.

Além disso, a redução só acontece quando a empresa se adapta à forma de trabalho pretendida, como alugar espaços de coworking, gestão de recursos tecnológicos, etc.

No fim das contas, há sim uma redução, mas ela nem sempre é garantida.

Segurança durante a crise sanitária

A última vantagem que vamos comentar é a mais importante, do ponto de vista da crise sanitária. 

Quando os trabalhadores atuam pelo modelo híbrido, as chances de contaminação e proliferação da covid-19 diminuem bastante. Dessa forma, o trabalhador se beneficia por estar mais seguro, a empresa consegue evitar perda de mão de obra, e a taxa de infectados tende a diminuir.

Agora que vimos as vantagens do modelo híbrido, vamos às desvantagens desse modelo de trabalho.

E as desvantagens?

Infelizmente, o trabalho híbrido também apresenta desvantagens. No caso, assim como aconteceu com as vantagens, algumas delas são completamente inesperadas, tendo ocorrido devido à interação dos trabalhadores com o novo ambiente de trabalho.

Nesta seção, vamos explorar algumas delas.

Tendência de burnout

Uma das desvantagens inesperadas é a alta tendência de burnout, algo que tem se tornado bastante comum. A razão disso está na liberdade que os colaboradores têm, e suas preocupações em relação ao trabalho.

Por estarem trabalhando de casa, um dos medos mais relatados é passar a impressão de “corpo mole”. Ou seja, fazer menos que o esperado, no ponto de vista dos líderes da empresa.

Assim, alguns funcionários trabalham muito mais que o requerido, e acabam entrando em burnout.

Alta dependência tecnológica

A alta dependência tecnológica se torna uma desvantagem quando pensamos no Brasil. De fato, a distribuição de energia e internet em nosso país é bastante precária, e muitas regiões não têm bons provedores desses recursos.

Em algumas situações, parte de uma mesma cidade pode sofrer com a falta desses recursos, seja esporadicamente ou de forma recorrente, devido à baixa qualidade do serviço prestado.

Isso impacta negativamente quem segue o modelo híbrido de trabalho.

Dificuldade de adaptação

Um detalhe pouco comentado diz respeito a adaptação por parte dos colaboradores. O trabalho híbrido não é uma modalidade que se adequa ao estilo de vida de todo mundo, e isso precisa ser respeitado.

Além disso, o ambiente familiar pode ser mais complicado que o empresarial, devido às diversas demandas familiares. Ou seja, ao invés de conseguir trabalhadores mais produtivos, obtém-se o extremo oposto disso.

Diminui o contato social entre os funcionários

A interação social faz parte do ambiente de trabalho. Em suma, é assim que os colaboradores criam vínculos, tanto com suas equipes quanto com os funcionários de outras áreas da empresa.

Essa interação social torna o ambiente de trabalho único, sendo, ainda, uma forma de fomentar a inovação e soluções criativas de problemas.

A depender da proporção de trabalho home office, esses vínculos com os demais colaboradores podem ser perdidos.

Como implementar o trabalho híbrido?

Implementar o trabalho híbrido requer bastante estudo. Afinal, estamos falando em mudar a forma que os trabalhadores desempenham suas atividades. Nesse sentido, vale a pena ficar atento a alguns pontos importantes, como os que vamos citar nas próximas seções.

Analise os recursos necessários

O trabalho híbrido requer diversos recursos, tanto tecnológicos quanto jurídicos. Nesse sentido, fazer uma análise fria do que será necessário para implementá-lo na empresa é o primeiro passo.

A necessidade de recursos varia de acordo com o cargo ocupado pelo colaborador, assim como sua condição social e econômica. A mais comum é o uso de computação em nuvem.

Embora seja um gasto inicial considerável, ainda mais quando vários funcionários vão migrar para essa modalidade, é um investimento que se paga com o tempo.

Proteção de dados e segurança digital

A proteção de dados é um dos principais itens dessa lista. 

Diversos estudos mostraram que boa parte das invasões a bancos de dados acontecem através dos funcionários. Ou seja, mesmo com um sistema de segurança impecável nos servidores, o acesso por parte dos colaboradores ainda é um ponto delicado.

É importante implantar políticas de segurança digital, que devem incluir a segurança dos sistemas usados pelos funcionários. As melhores medidas englobam manter os sistemas atualizados, assim como uma política de senhas fortes.

Acompanhamento de produtividade

No modelo híbrido, alguns colaboradores vão trabalhar muito, enquanto outros podem trabalhar pouco. Ou seja, a produtividade de cada trabalhador é variável, dependendo de diversos fatores fora do alcance da empresa.

Uma forma de lidar com isso é manter um monitoramento de produtividade. Assim, em casos de anomalias na cadeia produtiva, os líderes podem intervir para entender o cenário em que aquele trabalhador está exposto, e buscar por uma solução eficiente.

Note que tanto a produtividade em excesso quanto sua falta devem ser sinais de alerta para a empresa.

Preservação da cultura empresarial

A cultura empresarial deve ser mantida a todo custo. Afinal, é ela quem define o modus operandi da empresa, sendo uma parte importante do modelo de negócio da companhia.

Uma forma de manter a cultura é através do retorno dos funcionários à empresa. Dessa forma, recomenda-se que os colaboradores em sistema híbrido de trabalho retornem pelo menos uma vez por semana à sede.

Sem dúvidas, o trabalho híbrido vai perdurar no pós-pandemia, assim como o home office e o teletrabalho. Existem diversas vantagens e desvantagens de cada modelo de trabalho, e sua empresa precisa analisar todas as opções antes da decisão final.

Aproveite para ver mais conteúdos como este em nosso blog!

Curtiu?
Compartilhe

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

AV. BAHIA, 1260, SÃO GERALDO, - PORTO ALEGRE - RS Política de privacidade © 2021 ADENTRO CLOUD - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.

Política de Privacidade